Archive for the Filosofia Category

Um sinal de liberdade. Para dar o ritmo…

Posted in Filosofia, Literatura, Sociologia with tags , , , , , , , on março 21, 2011 by lesdommag3rs

Seis e pouco da manhã — numa segundona chuvosa. Acessando um site de e sobre ateus. E — para completar a “festa” (risos) — ouvindo “Sledgehammer” do Peter Gabriel. Tudo isso dando o ritmo. (O ritmo para as coisas que poderão vir e mudar tudo. Tudo? Tudinho… Entre nós… e eles. E outros nós. E outros eles… E mais ainda…)

Sérgio C. Gelassen, Um sinal de liberdade

Anúncios

Então…

Posted in Filosofia on novembro 9, 2010 by lesdommag3rs

Não desista
Porque você tem amigos
Não desista
Você ainda não foi conquistado
Não desista
Eu sei que você pode fazer o bem

Peter Gabriel, Don’t Give Up

Foi uma tarde interessante. Dois caras apaixonados por Filosofia — e por mulheres — na mesma sala de aula, conversando baixinho. Só para não atrapalhar os que faziam a prova. E quanta — quanta coisa pudemos conversar. E nos divertirmos muuuito com esse nosso diálogo insólito. Valeu, Vagner!

Sérgio Gelassen, De Volta Ao 12

Sérgio C. Gelassen

Posted in Filosofia with tags , , , , , , on outubro 29, 2009 by lesdommag3rs

“[…] Para Dostoiévski, ‘se Deus não existe, então tudo é permitido.’ Para (uns) outros, ‘se Deus existe, então tudo é proibido.’ É isso mesmo: zero a zero.”

Referência bibliográfica

Sérgio Cícero Gelassen, O Maior Show da Terra

Sérgio C. Gelassen

Posted in Filosofia, Psicologia with tags , , on outubro 10, 2009 by lesdommag3rs

“[…] Sim, estamos todos nós — aqui mesmo, agora mesmo — perdidos. À procura de alguém que possa nos encontrar. Curioso isso: ‘à procura de alguém que possa nos encontrar’. Alguém que está dentro de nós, esperando por uma chance (do coração, da alma) e dizer-nos: ‘cá estou eu. É um prazer poder ajudar você e você a mim. Porque somos um todo. Um todo indivisível — salvo quanto à questão psicológica do termo ‘indivísivel’.”

Referência bibliográfica

Sérgio Gelassen, É e não é: é ou não é?

Sérgio C. Gelassen

Posted in Filosofia on outubro 3, 2009 by lesdommag3rs

Deus é um círculo

Deus é um círculo

“[…] Prefiro dizer que Deus é um círculo. Porque não tem começo nem fim. E está antes do ponto A e depois do ponto Z. (Viu só?) Um círculo. Como o universo. Como nos é difícil entender — quanto mais compreender — algo que não possui fim nem início… Tal dificuldade nos é familiar porque o ser humano conhece tudo que tem um príncipio (início) e um fim (final). A compreensão do mundo, das pessoas, das coisas(1) somente é atingida, no contexto em que observo aqui, quando se entende que há coisas que não possuem nem começo nem fim.

(Ora, Deus é o nome que damos a uma força inexplicável e sem nome. E que as religiões corrompem atribuindo-lhe funções estúpidas (como as de condenar seus filhos ao Inferno, etc. e tal) e humanas. Cremos — e não devemos dizer sabemos — que Ele é bem mais que isso. É-nos agradável e confortável podermos crer em uma força superior com certas caraceterísticas humanas porque precisamos, pois, de algo com que possamos nos identificar.)

Voltando ao que eu falava um pouco mais acima — sobre Deus ser um círculo — como eu disse, assim mostram-nos as figuras acima. As de fundo branco encaixariam-se melhor num livro de Física. As de fundo preto talvez fossem mais adequadas a um estudo de Física sobre Fotografia. (Tal comentário me parece possuir uma natureza wittgensteiniana, por assim dizer).

NOTA

(1) Sim, as pessoas também são coisas, embora eu não queira “coisificar” ninguém, a despeito de saber que há “pessoas-coisas” (pelo menos é essa a impressão que tenho delas, a julgá-las pela pequenez de suas atitudes, de suas ideias, de seu estilo de vida).

Referência bibliográfica

S. Gelassen, O Ser e o Não-Ser ou O Ser e o Estar

Sérgio C. Gelassen

Posted in Filosofia with tags , , , , , , , on setembro 26, 2009 by lesdommag3rs

“[…] Se o mundo é mesmo uma ilusão?
Sim e não. Sim: porque as pessoas aprazem-se, por sentimento e/ou interesse em enganarem-se umas às outras. As pessoas formam o mundo humano. Não: “porque não”. Claro que isto é só uma opinião bem restrita e limitada a respeito do assunto. Na verdade, é bem certo que tudo seja mesmo uma ilusão. Uma ilusão tão disseminada, espalhada, tão acreditada, aceita, bem quista pela “grande maioria” que fica difícil — para não dizer impossível — para qualquer um afirmar ‘sim, tudo, tudo, tudo é uma ilusão’. Haverá quem negue, para retomar o que eu já dissera em algumas linhas acima. Como haverá quem afirme, embora sem muita certeza disso. Que me seja permitido afirmar, de um modo meio wittgensteiniano, que o mistério é tudo aquilo que não se pode explicar. E o que não se pode explicar deve permanecer sem explicação. (A coisa mais fácil do mundo é encerrar um assunto com argumentos óbvios. E convenhamos, como há, em demasia, pessoas que adoram os caminhos mais fáceis. Os quais nem sempre são os mais seguros tampouco os mais certos, diga-se de passagem, sob diversos pontos de vista. Geralmente pertencentes àqueles que procuram observar as coisas além de sua superfície, porque sabem que — quase sempre — há muita coisa por debaixo, muita coisa oculta.)”

Referência bibliográfica

S. Gelassen, Se o mundo é mesmo uma ilusão

Sérgio GELASSEN

Posted in Filosofia with tags , , , , , , , , , , , , , on setembro 11, 2009 by lesdommag3rs

“Quais danos não marcarão este mundo por tempo indeterminado? A julgar pela quantidade avassaladora de espíritos fúteis, inférteis, essa podridão humana que tanto espaço ocupa neste planeta castigado, ferido, tornado corrupto por líderes religiosos e políticos, a morte poderia libertar mais desesperados por justiça. Todos somos culpados, inocentes ou não… Malditos sejam os vossos descendentes, tumores humanos de toda estratificação social, tal é a tua condição de podridão espalhada sobre a terra. Poe invejaria viver nesta época! Poe daria a vida por ela! Ah, o vazio humano! A podridão humana no poder! Tudo é culpa do homem, tudo é culpa de Deus. Tudo é nada! Tudo! Tudo NÃO É!

Sérgio GELASSEN, O que não é, será.