Arquivo para humano

As duas coisas…

Posted in Fotografia with tags , , , , , on setembro 15, 2010 by lesdommag3rs

“[…]
Ou não entendem ou fingem não entender.
Ou não querem ou fingem não querer.
Ou não sabem ou fingem não saber.
Ou não são amigos ou fingem ser…

Com efeito, ‘quanto mais você se aproxima do significado mais você sabe que está sonhando’.(1)

Sérgio C. Gelassen, As duas coisas

NOTA

(1) 1. Trecho livremente traduzido de Heaven and Hell do Black Sabbath. 2. Que possam os semioticistas aprender um pouco mais com essa observação e deixar de serem tããão cegos

Sérgio C. Gelassen

Posted in Literatura with tags , , , , on setembro 24, 2009 by lesdommag3rs

“[…]
A condição humana é de miséria, por mais ricos que sejamos em termos financeiros. E que os otimistas me perdoem por essa minha visão quase niilista do mundo. É algo que tenho observado. Dificilmente admitirão isso. Eu bem o sei. Admitamos: alguns médicos nos pedem exame de fezes porque, todos sabemos, alguns mais, outros menos, que as fezes dizem muito sobre nós. Eis a escatologia humana. Um dia já fomos amebas, seres bem primitivos. Ainda — ao menos muitos de nós — somos. Mas desta vez possuimos computadores, roupas da última moda, mais armamento, mais automóveis caríssimos. E continuamos a fazer de tudo para ocuparmos mais espaço e destruir esse mundo do qual fazemos parte. Dessa vez não falei de Deus. Resolvi deixar o coitado em paz. Só eu sei por que…”

Referência bibliográfica

S. Gelassen, Humano – Vol. II

Sérgio C. Gelassen

Posted in Literatura with tags , , , on setembro 24, 2009 by lesdommag3rs

“[…] Abandone tudo — por uns bons cinco, dez minutos. E volte para o local onde deixou tua vida, teu cérebro, teu coração. Difícil coisa te é saber quando é hora de terminar, uma vez que você já se exterminou. A negação da morte. A negação da vida.
[…]
E nada — nada mesmo — tem o peso, o brilho repleto de mistério, mistério além da morte, de um olhar fixo. É como se a mente tentasse escapar por ali — mas ficasse meio sem graça de escorrer pelo ambiente em que estamos — e virar fumaça ou gelatina…”

Referência bibliográfica

S. Gelassen, Humano – Vol. I