Arquivo de março, 2010

Sérgio C. Gelassen

Posted in Literatura with tags , , , , , , , , , , , , on março 7, 2010 by lesdommag3rs

“[…]
Leva-se tempo para chegar até aquele lugar. Lugar estranho. Frio, embora seco. Frio, quase gelado. E onde impera um silêncio mortal. Mas pode-se ouvir as centenas de vozes — vozes persistentes, não obstante fossem silenciosas, mas certas de tudo que diziam. Os donos dos discursos, com tamanhos e idades diferentes, pareciam, aqui e ali, convergir em alguns pontos. Todos sabem conversar. Alguns mais, outros menos, com suas diferentes ideias, mas pareciam estar dispostos a dialogar, bastando, para tanto, haver visitantes interessados em procurá-los. Como eu dissera, leva-se algum tempo para chegar até lá. Quem construiu a casa ordenou que o recinto, grande, frio e de aparência estranha — inquietante, embora silencioso — não fosse acessível a qualquer um. Não mencionei os quadros — na verdade fotos emolduradas com vidro e madeira, dispostas como quadros. Talvez porque fique difícil me lembrar dos aproximadamente cinquenta que havia ali. E eram fotos em P&B. Os donos daquelas vozes aguardavam em silêncio, enfileirados. Uma mocinha muito bonita — a qual lembrava um gato branco que eu tive, pela magreza e olhos expressivos comum a ambos — permanecia parada, em pé, ouvindo uma das vozes silenciosas. Eu a chamei, primeiro em tom de voz baixo, discreto. Ela não ouviu. Então, num tom mais alto, eu disse “Moça…” Antes de virar para mim, ao passo que ela tentou fazê-lo, desapareceu. Ela lia um livro cujo título era “A Rosa Graciosa da Terra das Cruzes”. E eu cheguei até aqui para contar isso. Um momento: esqueci-me de dizer que ela caminhava com um jeito de moça delicadíssima que dança ballet. Com efeito, seus passos pareciam passos de ballet.”

Referência bibliográfica

Sérgio C. Gelassen, Tamiris